Vereador do PS garante que investidores continuam interessados em construir clínica renal em Celorico da Beira

O vereador do PS na Câmara Municipal de Celorico da Beira garante que os administradores da Fundação Renal Portuguesa continuam com vontade de avançar com construção de uma unidade no concelho. José Albano, que apresentou esta obra como uma das suas bandeiras eleitorais, explica ainda, numa nota publicada na sua página oficial do Facebook, que os responsáveis daquela entidade estiveram “reunidos novamente na Câmara Municipal há sensivelmente 15 dias, com o Sr. Presidente da Câmara e seu Adjunto, para clarificação de alguns procedimentos necessários para o arranque das obras, mormente as condições de acesso e respectivas infra-estruturas”.

“Após tanto ataque ter sido feito à minha pessoa sobre a existência real ou não da mesma [clínica renal], apenas tenho a lamentar que todos quantos injuriaram e mal disseram, não tenham efectivamente a coragem de publicamente pedirem desculpa pelas alarvices ditas sobre esta matéria e dizer-vos que quando me perguntam sobre a obra, devem pedir essa explicação ao actual Executivo Municipal, pois eu fui arredado deste processo pelo actual Presidente da Câmara, como é publicamente sabido”, continua o candidato derrotado à autarquia nas últimas eleições.

José Albano demarca-se ainda da entrada de novos funcionários na autarquia e daqueles “hipotéticos nomes que possam ainda estar a caminho”. “Sobre esta matéria, disse e mantenho o que sempre defendi, nas reuniões de Câmara Municipal, ou seja, dada a situação financeira delicada do Município, o aumento abismal de encargos com pessoal, poderia desequilibrar as contas do próprio Município no futuro. Disse desde o início que era uma opção do Sr. Presidente eleito, tal como ele próprio referiu por diversas vezes em reunião de Câmara”, escreve, referindo ainda que tivesse votado contra a obra das Piscinas Municipais. “Foi exactamente o contrário, sugerindo ao Executivo Municipal que não perdesse a candidatura aprovada no valor de 266 mil euros (cerca), feita ainda pelo anterior Executivo Municipal, tendo a opção do actual Executivo sido perder essa candidatura e apostar na iluminação pública a leds”.

Na missiva, o vereador do PS garante ainda que tivesse votado a favor sobre “os cortes de árvores com dezenas de anos em frente ao Mercado Municipal”, sublinhando que o assunto nunca foi levado a reunião de Câmara. “Pois se tivesse sido, votaria contra. Sempre assumi posições coerentes, e se estive do lado da protecção da natureza, bem como, na sua defesa, reconheço que hoje ninguém poderia esperar outra coisa da minha pessoa”, concluiu.