Deputados de Viseu do PSD acusam Governo de quatro anos de “mentiras e esquecimento” em relação ao IP3

Os deputados de Viseu eleitos pelo PSD acusam o Governo de mentir em relação ao IP3 e consideram que, depois das várias promessas, a situação está ainda pior. “Na passada 4ª Feira, o Parlamento debateu a situação atual e o futuro do IP3. Durante a apreciação e debate das iniciativas dos partidos e de cidadãos, ficou claro que o IP3 continua na mesma. Melhor, está pior porque passou mais uma legislatura de quatro anos e nem uma intervenção relevante se fez durante este período”, referem os sociais-democratas em comunicado.

“Nunca é demais relembrar que, o que realmente o Governo e os camaradas da geringonça fizeram, neste período, foi cancelar a “Via dos Duques”, sem ter uma alternativa consolidada para a substituir. Foram, portanto, quatro anos de mentiras, quatro anos de esquecimento”, continuam, frisando que para procurar remediar a situação “anunciaram à pressa, em resposta a uma denúncia dos Deputados do PSD, a eventual duplicação do atual traçado do IP3. Dizemos eventual porque ainda nem sequer está no papel. Não se conhece qualquer estudo prévio, não há caderno de encargos ou calendário de execução, nem alguma vez, nestes quatro anos, se comprometeu verba no Orçamento de Estado, especificamente, para o efeito. Já o mesmo não se pode afirmar para as estações do metro de lisboa.

Salientando que única intervenção prevista é a reposição do traçado original no troço entre a Lagoa Azul, na foz do Dão, e a “livraria do Mondego”, em Penacova, os deputados do PSD dizem que esta é uma grande reparação há muito prevista no plano de atividades da Infraestruturas de Portugal. “É uma intervenção urgente que o Governo adiou estes quatro anos e que pretende transformar no início da putativa duplicação do IP3. Que fique bem claro: não há qualquer duplicação neste troço, é apenas uma reabilitação, conforme enunciado na portaria 320/2019”, dizem, acusando “a máquina de comunicação do Governo e do Partido Socialista” de “intoxicar a opinião pública com a conivência da comunicação social”.

Os sociais-democratas dizem ainda que o PS “volta a colocar o Estado ao serviço dos interesses da família socialista e do calendário eleitoral”. “Não satisfeitos com este abuso, não têm qualquer pudor em anunciar, dissimuladamente, que já está autorizada a despesa para os 134 milhões de euros que dizem custar a duplicação do IP3. Quando o que foi realmente autorizado e comprometido para 2019 e 2020 foi a despesas correspondente aos 11.847.000,00 euros para a reabilitação do troço supracitado”.