Carlos Peixoto convida alunos do Agrupamento de Escolas de Celorico da Beira a visitar Assembleia da República

O deputado do PSD eleito pela Guarda Carlos Peixoto convidou hoje os alunos do Agrupamento de Escolas de Celorico da Beira a visitar a Assembleia da República. O convite surgiu no final de um debate no auditório da biblioteca municipal sobre as alterações climáticas que contou também com o presidente do município celoricense, Carlos Ascensão. O autarca, de resto, colocou de imediato à disposição da escola os meios logísticos da Câmara Municipal para a eventual deslocação a Lisboa.

O encontro, no âmbito do Parlamento dos Jovens e da iniciativa daquele centro escolar, permitiu aos vários alunos que encheram o espaço confrontar o deputado social-democrata com questões sobre os problemas ambientais que afectam o planeta. “É algo decisivo para nós e fundamentalmente para as próximas gerações. As alterações climáticas matam”, começou por referir Carlos Peixoto, para quem esta é uma causa complexa. “Os políticos têm feito alguma coisa para combater este flagelo, particularmente a partir de 1998, mas é algo complicado a nível global”, explicou, sublinhando que este é um problema que envolve lobbies muito fortes como o do petróleo ou as guerras comerciais entre países, dando como exemplo o conflito latente entre os Estados Unidos e a China.

“Neste momento já era possível não existir a dependência do gasóleo e da gasolina. Mas existem interesses muito fortes e países que têm indústrias a laborar sem qualquer preocupação com o ambiente”, sublinhou, frisando, no entanto, existir em Portugal a preocupação e legislação no sentido de combater esse problema, destacando mesmo que a nível nacional existem coimas muito pesadas para as empresas que não cumpram a lei, entre elas directivas da Comunidade Europeia. Mas salientou também a responsabilidade individual de cada um e da comunidade nesta tarefa. Em coisas tão simples como separar o lixo, não deitar beatas de cigarro e pastilhas elásticas para o chão ou utilizar meios menos poluentes no dia-a-dia. “Fazer isso já é ajudar em algo tão importante para o futuro”, resumiu.

O presidente da Câmara Municipal de Celorico da Beira, por seu lado, chamou a atenção de existir mais conhecimento para ajudar a lutar contra uma causa que está colocar o planeta “à beira do abismo”. Carlos Ascensão não tem dúvidas de que necessário agir e que a comunidade cientifica é unânime em reconhecer que “o mundo está neste estado por acção do homem”. Lembrou que a temperatura já subiu em média um grau e que continuará a aumentar se nada for feito. “Temos de agir. E aqui, além de uma responsabilidade individual, há também uma responsabilidade colectiva. Estudar e aprender é vital”, frisou.