Bombeiros voluntários passam a ter bonificações para a reforma e outras regalias

Os bombeiros voluntários que tenham pelo menos 15 anos de serviço no quadro activo ou de comando vão ter direito a uma bonificação de 15 por cento para efeitos de reforma. O decreto-lei foi hoje publicado em Diário da República, entra em vigor na sexta-feira, e atribui novos benefícios sociais e incentivos aos bombeiros voluntários, como apoios nas despesas com creches e infantários e bonificações de tempo de serviço para efeitos de reforma.

“Os bombeiros voluntários portugueses que reúnam, pelo menos, 15 anos de serviço no quadro activo ou de comando têm direito a uma bonificação de tempo de serviço para efeitos de pensão, independentemente do regime de protecção social que os abranja”, refere o diploma. O documento acrescenta que esta bonificação corresponde a 15 por do tempo de serviço prestado como bombeiro voluntário nos quadros activo e de comando, com o limite máximo de cinco anos de bonificação.

As contribuições, no âmbito deste regime, passam a ser suportadas em partes iguais pelo interessado e pelo Fundo de Protecção Social do Bombeiro, enquanto actualmente a contribuição era assegurada apenas pelo interessado. O novo diploma vai permitir também que os bombeiros voluntários tenham um reembolso de 50 por cento das despesas suportadas com berçários, creches e estabelecimentos da educação pré-escolar, da rede pública, da rede do sector social e solidária, relativas a descendentes em primeiro grau.

O novo documento consagra igualmente, em articulação com o Código dos Regimes Contributivos do Sistema Previdencial de Segurança Social, “o direito à protecção na eventualidade de doença e parentalidade para os bombeiros beneficiários do seguro social voluntário, mediante o pagamento das respectivas contribuições”. O diploma estabelece também uma redução de 50 por cento em todas as taxas cobradas pelos organismos da área da administração interna e o acesso aos refeitórios da administração central e local do Estado nas mesmas condições que os trabalhadores em funções públicas. Os bombeiros voluntários vão ter ainda acesso a serviços com custos reduzidos e a entrada gratuita em museus e monumentos públicos.

O Governo justificou a revisão dos benefícios sociais atribuídos aos bombeiros devido “ao espírito de voluntariado, sacrifício, generosidade e abnegação que os bombeiros voluntários demonstram”, além da disponibilidade para o desempenho de uma missão pública. E estas medidas relevam “especialmente o reforço dos incentivos ao voluntariado, apoiando, promovendo e dignificando o voluntariado e a função social do bombeiro”. Uma das principais reivindicações dos bombeiros voluntários, de resto, passava pela criação de um cartão social que congregue um conjunto de benefícios sociais, passando pela educação, impostos, saúde e segurança social.