“Alucinações políticas” autárquicas …em Oliveira do Hospital. Autor João Dinis (Jano)

Recentemente saltaram mais uns casos da gestão municipal prática que mais parecem frutos de “alucinações políticas” (e de gestão) por parte de quem os determina…

Falamos dos 19 Tractores “solidários” retidos por vários meses seguidos na Estaleiro Municipal – portanto à directa responsabilidade do Município – e até com vários deles já com os respectivos Livretes emitidos e nas mãos dos indigitado donos, agricultores lesados pelo Fogo a quem arderam dessas máquinas agrícolas!…

A responsabilidade também vai para a CARITAS, a entidade que realizou a campanha de recolha de donativos em solidariedade para com os lesados pelos Incêndios de 15 de Outubro de 2017 e que, daí, comprou e depois mandou “depositar” esses Tractores no Estaleiro da Câmara na cidade de Oliveira do Hospital onde se podiam ver alinhados, e não era por nossa “alucinação”…

Desta situação, tão insólita quanto lamentável, demos nós divulgação, nomeadamente, a 24 de Dezembro passado, em artigo publicado aqui, no CBS e, depois, por nós mesmos comentados – como se pode constatar.

Ao que se foi sabendo, após insistências várias, na base dessa “incrível” demora em entregar os 19 Tractores “solidários”, esteve um “diferendo” prático entre a Câmara Municipal e a CARITAS que “teimaram” acerca do processo de definição dos agricultores lesados que iriam ter direito a receber as máquinas. De assinalar também que, em Municípios vizinhos, não surgiu um tal “diferendo” pelo que os agricultores desses Municípios receberam – e há muito tempo – tractores atribuídos pela CARITAS, consoante indicação municipal, e por idêntico motivo: os danos sofridos nos Incêndios de Outubro de 2017.

Ora, um destes dias, a TV I emitiu uma daquelas reportagens, de conhecida jornalista em conhecido programa, na qual e a pretexto de situações supostamente criticáveis, a mesma jornalista denuncia, “a doer”, alegados escândalos que andam por aí “escondidos”… E, nessa recente reportagem, voltaram a “bater” – e muito – no nosso Município e no Presidente da Câmara em especial, a pretexto dos Tractores mantidos “prisioneiros” no Estaleiro Municipal… Ora, ao saber da tal reportagem em causa, o Presidente da Câmara convocou para um almoço (!…), no próprio dia em que a emissão da reportagem iria para o ar, os Agricultores e indigitados donos desses Tractores e, um ou dois dias depois, os mesmos Agricultores  puderam – finalmente! – levar os seus Tractores para trabalharem com eles, certamente !

Ora, por que razão foi preciso esperar por um programa da TV I – que não deixa de ser “especulativo” – para fazerem avançar a entrega dos 19 Tractores?! Que raio de “alucinação política” provocou tamanho atraso e uma tal “asneira” institucional? É uma situação que deixa mal visto o próprio Município!

E quanto aos mais de 70 mil euros da “conta solidária” aberta pela Câmara?

Pois, a mesma reportagem da TVI e o debate que também foi emitido evidenciaram mais um caso inusitado de que nós já tínhamos ouvido falar embora, de tão inusitado, nem tivéssemos acreditado bem nele. Pois então, a Câmara Municipal abriu uma “conta solidária” para recolha de fundos destinados a apoiar os lesados pelo Fogo de 15 de Outubro de 2017, portanto por um Fogo ocorrido há 15 meses!

Entretanto, essa mesma conta bancária “solidária”, ao que se disse, sem margem para dúvidas, na reportagem da TVI, juntou já mais de 70 mil Euros sem qualquer utilização prática ou seja, é mais um caso de “solidariedade retida”, discricionária e inutilmente, pelo Presidente da Câmara Municipal?!  Ora, o Presidente, questionado em sessão de Câmara, há tempos, terá dado uma justificação, pelo menos intrigante, segundo a qual a verba em causa está para ser empregue em alguma coisa (?) que os respectivos doadores possam ver quando vierem a Oliveira do Hospital… Inacreditável, não é?… Tanta Gente com tanta dificuldade em consequência do Fogo, e 70 mil Euros “solidários, à espera de uma “epifania política” da Câmara, com repercussões práticas!

E ao que entretanto também se sabe, essa verba tem aparecido na prestação regular de contas (situação financeira) feita pela Câmara inclusivé na Assembleia Municipal, o que serve, obviamente, para “empolar”, politicamente, a alegada situação financeira – saudável – do Município… Estamos então para ver o que, sobre isto, vão dizer e fazer as forças políticas representadas (para além do PS “cúmplice”…) na Assembleia Municipal – PSD e CDS/PP…

É que, se o Presidente da Câmara quisesse – se não cedesse a uma espécie de “alucinação política” também neste caso – muita Gente poderia dar boas opiniões acerca das melhores formas de já ter utilizado, com justiça, essa verba “solidária” !

Não, a “alucinações televisivas” !

Mas não podemos deixar de registar mais uma reflexão: é manipuladora e muito “complicada”, sobretudo para alguns dos visados, a forma como a reportagem da TVI fez a montagem de algumas das imagens e dos depoimentos. Nomeadamente, até, nas referências expressas (verbais e visuais) ao Presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital (que desta vez não se terá mostrado disponível para falar…).

A dada altura, e ainda por cima quando, consabidamente, há um mau ambiente geral publicamente instigado contra Autarcas – com alegadas irregularidades e até ilegalidades – esta reportagem da TVI faz insinuar a ideia de que o Presidente da Câmara de Oliveira do Hospital até poderá estar a tirar partido pessoal dessa verba solidária. Em primeiro lugar, o Presidente da Câmara não está, certamente, a tirar partido pessoal, privativo, dessa verba (ou dos Tractores…) e, em segundo lugar, tem que haver limites às “alucinações televisivas” de muitas das reportagens tidas como confiáveis e ainda por cima a pretexto da “liberdade de informação”!

João Dinis, Jano